De que forma a poluição afeta a apneia do sono?

Yound people breathing fresh air

As pessoas que sofrem de apneia do sono perguntam muitas vezes se a poluição afeta o seu estado de saúde, particularmente a poluição do ar, mas também outros tipos de poluição, tais como a poluição doméstica. Esta é uma questão muito atual, debatida na XXI Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP21), realizada em Paris no final de novembro de 2015. Encontrará em seguida algumas informações sobre a relação da apneia do sono com a poluição, bem como algumas sugestões sobre como lidar com o problema.

Até que ponto a apneia obstrutiva do sono e a poluição estão relacionadas? Sabemos que a Patologia Respiratória do Sono (PRS) e a poluição do ar foram separadamente associadas às doenças cardiovasculares e ao aumento da mortalidade.
Em 2010, investigadores do Brigham Women’s Hospital e da Harvard School of Public Health (EUA) estabeleceram a primeira relação entre a poluição do ar e a Patologia Respiratória do Sono.* Tendo como base o Sleep Heart Health Study (que envolveu mais de 6.000 participantes entre 1995 e 1998) e os índices de poluição de Framingham (Massachusetts), Minneapolis, Nova Iorque, Phoenix, Pittsburgh, Sacramento e Tucson, o estudo revelou a importância da poluição e da temperatura no tratamento da PRS. Durante o verão, o aumento das partículas emitidas pelos tubos de escape dos automóveis e o aumento da temperatura agravam os problemas respiratórios. Como consequência, também aumentam os sintomas da apneia obstrutiva do sono. "As partículas podem influenciar o sono, pois afetam o sistema nervoso central, bem como as vias aéreas superiores. O aumento dos casos de apneia e hipopneia foram associados ao aumento da temperatura quando este ocorre num curto espaço de tempo e em todas as estações do ano, bem como ao aumento dos níveis de partículas poluentes nos meses de verão", escreveu o Dr. Zanobetti da Harvard School of Public Health, Boston.

Minimizar o impacto dos picos de poluição e de temperatura em pacientes que sofrem de apneia obstrutiva do sono.                                              

Quando ocorrem picos de poluição ou de temperatura, qualquer acontecimento que cause cansaço ou perturbações respiratórias durante o dia tende a agravar os sintomas da apneia do sono à noite. As medidas simples que se seguem são, por isso, muito recomendadas:
- Não pratique desporto, particularmente se sofre de asma induzida pelo exercício.
- Evite conduzir em autoestradas e grandes avenidas.
- Areje a sua casa pelo menos 15 minutos todos os dias de manhã cedo ou mais para o final de tarde quando a temperatura estiver mais amena.
- Se possível, utilize a bicicleta ou desloque-se a pé em vez de conduzir.
- Beba muita água ao longo do dia para diminuir o risco de desidratação e o cansaço excessivo.
 

Por outras palavras, evite atividades exaustivas e locais poluídos sempre que possível (e não contribua para aumentar a poluição). Quanto mais cansado ficar durante o dia, maiores serão as probabilidades de agravar o quadro de apneia do sono à noite.

 

*Associations of PM10 with Sleep and Sleep-disordered Breathing in Adults from Seven U.S. Áreas Urbanas A. Zanobetti, S. Redline, J. Schwartz, D. Rosen, S. Patel, G. T. O’Connor, M. Lebowitz, B. A. Coull, D. R. Gold. American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine, 2010; DOI. Este estudo foi financiado pelo National Heart Lung and Blood Institute, pelo National Institute of Environmental Health Sciences e pelo Environmental Protection Agency.