Como a poluição afeta a apnéia do sono: Poluição natural e apneia do sono

Young woman with allergies

A poluição do ar, pólen, pó, ácaros e outros alergénios naturais também podem afetar a forma como respiramos e como dormimos.

Alergias ao pólen, ao pó ou aos ácaros têm algo em comum que interfere bastante com o sono: a probabilidade de causar inflamação nas membranas mucosas do nariz e da garganta.
Ainda que as consequências possam ser inofensivas na maioria das vezes, podem também causar muito desconforto, em especial para o paciente com apneia do sono que sofre também de asma. As pessoas asmáticas apresentam as vias aéreas muito sensíveis. Quando irritadas, inicia-se uma reação em cadeia: mais inflamação, inchaço, produção de secreções... e o círculo vicioso é agravado. Quanto mais irritadas as vias aéreas, mais estreitas ficam. Isso faz com que as vias aéreas entrem em colapso com mais facilidade, tornando a apneia do sono mais difícil de tratar,(1) de acordo com o Medical Group de São Lucas (Texas).
As pessoas alérgicas não estão em melhor situação. Em vez de uma congestão nasal que se prolonga por três semanas, as alergias geralmente duram seis meses ou mais, dependendo do tipo de alergia. Imagine sofrer de alergia aos ácaros no outono e no inverno e de alergia ao pólen durante a outra metade do ano...

O que acontece às pessoas que sofrem de asma e de alergias?

Quando a congestão nasal é consequência de um tratamento com CPAP pouco eficaz

A inflamação da membrana mucosa do nariz causa inchaço. Além de provocar dor, as secreções bloqueiam as vias aéreas, dia e noite. Esta situação tende a provocar pausas na respiração em pacientes com apneia do sono.
Além disso, quando o nariz está congestionado, passamos a respirar pela boca, tornando o tratamento com CPAP nasal pouco eficaz.

Parece essencial não só tratar a doença, mas também tratar simultaneamente a fonte da substância alergénica. O especialista em alergias pode receitar diferentes tipos de tratamentos dependendo da sua especialidade médica. Na maioria das vezes, os anti-histamínicos ajudam a curar as alergias. Quando a congestão nasal causa rinite ou sinusite, são necessários tratamentos mais eficazes, inclusivamente a administração de medicamentos antibióticos.

Outros especialistas receitam medicamentos homeopáticos e tratamentos prolongados: durante os três meses de inverno para a alergia ao pólen, por exemplo.

Algumas medidas simples e práticas em casa também podem minimizar eventuais incómodos antes que as alergias conduzam a perturbações respiratórias e a sintomas de apneia do sono:
- Instalar um purificador de ar no quarto.
- Utilizar roupa de cama hipoalergénica (edredons e almofadas) para reduzir o risco de alergia aos ácaros do pó.
- Pessoas que sofrem de asma induzida pelo exercício não devem praticar desporto quando os níveis de poluição e as temperaturas estiverem elevados.
- Os pacientes que sofrem de asma e de alergia ao pó devem arejar a casa todos os dias e limpá-la regularmente, eliminando o pó e a humidade.
- Um chão de pedra ou madeira é mais indicado do que a alcatifa no caso de pessoas alérgicas aos ácaros do pó.
- O ar seco também agrava os sintomas de rinite. Utilize o humidificador de ar durante o dia e adapte um humidificador ao seu equipamento de CPAP.

Algumas mudanças simples podem fazer uma enorme diferença no dia a dia de todos os pacientes que sofrem de patologia respiratória do sono e de apneia obstrutiva do sono.

Se tiver alguma dúvida, consulte o seu médico ou o responsável pelos cuidados domiciliários que lhe presta assistência.

(1) http://www.chistlukeshealth.org/asthma-and-sleep-apnea-1268