Quais são os tratamentos médicos disponíveis para a apneia do sono?

A Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é uma perturbação que tem tratamento e, se esse tratamento for bem sucedido, é possível melhorar todos os aspetos da vida do paciente relacionado com a patologia. A terapia ajuda a controlar os sintomas, apesar de ser necessária ao longo de toda a vida, na maioria dos casos.

Existem vários tratamentos que diminuem os sintomas. O médico recomendará a melhor opção para o seu caso:

Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas (CPAP)

A Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas (CPAP) é o tratamento padrão(1) para a apneia do sono. O paciente dorme com uma máscara ligada a um aparelho semelhante a um compressor que fornece continuamente um fluxo de ar que mantém as vias aéreas abertas durante o sono. Alguns modelos de equipamento de CPAP vêm com humidificadores que neutralizam alguns eventuais efeitos adversos (secura nasal).(2)

No início, a máscara do CPAP poderá causar um certo desconforto e pode sentir-se tentado a deixar de a usar. Contudo, os pacientes persistentes na sua utilização, adaptam-se rapidamente de um modo geral, apresentando melhorias significativas em termos de sintomas e de qualidade de vida(2). O CPAP não só reduz o ressonar e o cansaço, mas também o risco de outras complicações como as doenças cardiovasculares.(3)

Dispositivo de Avanço Mandibular (DAM)

O DAM é um dispositivo que se assemelha a um protetor dental. Geralmente, recomenda-se o uso do DAM para apneia do sono ligeira, ou como opção alternativa quando existe intolerância ao tratamento com CPAP. O DAM foi desenvolvido para manter a mandíbula e língua para a frente, o que aumenta o espaço na parte posterior da garganta, compensando o estreitamento das vias aéreas que provocam o ressonar. (2)

É possível que o DAM não seja adequado para si, caso não apresente uma boa saúde oral.(2) Consulte o dentista para saber se os seus dentes suportariam esse tipo de tratamento e se é recomendado para si.

Cirurgia

A cirurgia é realizada apenas como última alternativa e requer uma orientação especializada. A cirurgia não é recomendada por rotina, porque comporta o risco de complicações mais graves e, por isso, deve ser considerada apenas como último recurso, quando os outros tratamentos não apresentaram resultados satisfatórios.(2)

Podem ser realizados diferentes tipos de cirurgias para o tratamento da apneia do sono.(2)

  • Amigdalectomia: remoção das amígdalas
  • Adenoidectomia: remoção das glândulas adenoides
  • Traqueostomia: inserção de uma cânula na parte da frente do pescoço diretamente na traqueia para que possa respirar livremente.
  • Cirurgia bariátrica: reduz o tamanho do estômago para ajudar a pessoa a perder peso e a respirar mais facilmente.
  • Uvulopalatofaringoplastia: remoção do excesso de tecido da garganta (úvula) para alargar as vias aéreas (procedimento cada vez menos utilizado atualmente).

 

Antes de iniciar o tratamento, o médico chamar-lhe-á a atenção para alguns fatores de risco relacionados com o seu estilo de vida. Na maioria dos casos de SAOS, será necessário: (2)

  • Perder peso
  • Deixar de fumar
  • Reduzir o consumo de bebidas alcoólicas, principalmente antes de se deitar
  • Evitar medicamentos sedativos e comprimidos para dormir
  • Dormir de lado e não "de barriga para cima"

 

Fontes:

​(1) Clinical Guidelines for the Manual Titration of Positive Airway Pressure in Patients with Obstructive Sleep Apnea, Positive Airway Pressure Titration Task Force of the American Academy of Sleep Medicine, Journal of Clinical Sleep Medicine, Vol. 4, No. 2, 2008

(2) Obstructive Sleep Apnea - information prescription, www.nhs.uk

(3) Sleep Apnea and Cardiovascular Disease – AHA/ACCF Scientific Statement. Sommers et al. Circulação 2008; 118:1080-1011